quinta-feira, 28 de abril de 2016

Resenha: A Filha do Gelo







Livro:
 A Filha do Gelo
Autor: Luís Falcão de Magalhães
Ano: 2014
Editora: Chiado Editora

Edição: 1ª
Páginas: 380 (8 cap.)
Gênero: Fantasia








Após muito tempo Eileen, a Filha do Gelo, desperta e vêm ao mundo dos homens. Agora a deusa tem apenas dois objetivos: vingança pelo seu esquecimento e a conquista de todo o Norte para o seu culto. E enquanto os seus seguidores capturam cada vez mais servos para o seu grande exército, poderosas e horríveis criaturas são soltas para assolar as Planícies Geladas da terra de Eléssia.

Desconfiado, o conselho de cavaleiros da Torre resolve enviar um dos seus mais valorosos guerreiros para investigar a origem de tantas inquietações e mistérios. Então, Eregar, juntamente com uma equipe de ajudantes, partirá em uma missão arriscada e cheia de aventuras com o objetivo de explorar tais acontecimentos e ajudar a salvar sua terra da fúria do Gelo. Mal eles sabem das surpresas e desafios que os aguarda em sua árdua jornada.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O livro conta a história de um grupo de cavaleiros, mercenários e um alquimista que partem em uma viagem com o objetivo de apenas explorar alguns mistérios e acabam se envolvendo em uma guerra sangrenta. No começo eles entram no conflito querendo salvar um povo inocente de um exército demoníaco, mas ao ver as pessoas que amam ameaçadas pela fúria de uma deusa cruel eles resolvem agir de forma heroica para salvar à todos.

Quando comecei a ler a obra pensei que ia ser uma chatice, contudo, ao avançar na leitura que o começo era mais uma contextualização do enredo e logo estava envolvido na estória. A obra é narrada sob vários pontos de vista, que podem ser separadas em duas categorias, os do lado do bem, do grupo de heróis, e do lado do mal, na visão da deusa  e dos seus servos.

O autor utiliza uma linguagem bem objetiva e rápida, sem muitos rodeios. A descrição de lutas e batalhas foi muito boa, feita de modo simples para o entendimento fácil do leitor. Na narrativa, o autor, cria uma vilã muito curiosa, às vezes o leitor sente tanta pena dela e logo após passa a odiá-la por seus feitos aterrorizantes. na narrativa vemos algumas semelhanças com a série "The Walking Dead", quando aparece um bando de zumbis e eles são mortos de forma bem nojenta. 

A estética da obra foi bem diferente do que eu estava acostumado, com capítulos que começam curtos e acabam bema extensos, com mais de 100 páginas cada um. E eles são bem poucos, oitos apenas. A capa é muito bonita, com cores combinando e uma ilustração bem legal. para quem gosta de fantasia medieval e fantasia clássica o livro é super recomendável. Por enquanto é isso, boa leitura à todos e até breve. :)

Nível de Recomendação: 7;
Capa: 8;
Trama: 8,5;
Enredo: 7;
Desfecho: 9!

2 comentários:

  1. Oi Jean.
    Adorei a sua resenha. Você fala de um jeito bem fácil de compreender. Este livro deve ser incrível e essa capa, adorei. Quero lê-lo!
    Gosto muito do blog.
    Abraços, Oélita.

    ResponderExcluir
  2. Olá Oélita.
    Muito obrigado. A obra e bem legal mesmo. Também gostei da capa.
    Volte sempre.
    Abraços, Jean.

    ResponderExcluir