segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Resenha: As melhores histórias da Mitologia Nórdica

Leitura Atual






Livro:
 
As melhores histórias da Mitologia Nórdica
Autor: A. S. Franchini e Carmen Seganfredo
Ano: 2007
Editora: Artes e Oficios 

Edição: 6ª
Páginas: 326
Gênero: Mitologia e contos







A obra reúne, como o próprio nome diz, as melhores histórias da Mitologia dos povos nórdicos, que é uma das mais ricas e fantásticas e todas. Traz lendas e contos envolvendo os deuses de Asgard, heróis nórdicos e lugares fantásticos. O livro é dividido em duas partes: a primeira é composta por um conjunto de estórias mitológicas; a segunda, é uma versão romanceada da ópera tetralógica de Richard Wagner, intitulada "O Anel dos Nibelungos", que conta as aventuras de deuses e heróis em busca de um poderoso Anel de Poder, que causa muitos conflitos e disputas.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Gostei muito deste livro. Sempre fui um grande fã de filmes e obras inspiradas neste tipo de mitologia. E agora, lendo todas estas histórias, passeia gostar mais ainda. No decorrer da obra aparecem personagens, lugares e objetos realmente cativantes. É tudo muito cheio de fantasia, de magia, aventura e emoção.

Os deuses Odin e Thor

Na estória temos os deuses asgardianos, cada um com seus poderes e particularidades, como Odin, Thor e Loki.Sendo que, o que mais aparece na obra e protagoniza frequentemente os contos é Loki, o deus do fogo meio gigante, sempre muito astuto e esperto, pendendo sempre entre o Bem e o Mal. Foi o deus que eu mais gostei.
"Loki era uma espécie de curinga entre as divindades, aquele que trazia problemas, mas que, ao mesmo tempo, sabia encontrar as soluções mais originais e inesperadas para eles..." (pg. 192)
Não sei se é porque anteriormente eu ouvia mais falar do Thor, mas eu achei que ele ele apareceu muito pouco durante as estórias, com participações mínimas. Queria que ele fosse mais focado na obra. Uma parte super legal são os lugares onde tudo se passa, são tão mágicos e sensacionais. Alguns exemplos são os nove mundos sustentados por Yggdrasil, o freixo gigante, Joutemheim, a gelada terra dos gigantes, Niflheim, o mundo dos mortos, Asgard, a morada dos deuses, e etc.

Yggdrasil

Das duas partes da obra, a que eu mais gostei foi a segunda, pois a forma como a estória é contada e a descrição dos fatos e lugares é tão legal e agradável de se ler. Já a primeira eu achei muito fraca, as estórias tinham tudo para ser incríveis, mas a narração e o modo como as coisas acontecem enfraquecem a vontade do leitor de continuar lendo.

As duas partes acabam com o fim do mundo e o Ragnarok, ou o Crepúsculo dos Deuses. Mas, o melhor foi o primeiro, pois o segundo acaba apenas com a destruição e queima de Yggdrasil, a árvore que sustentava o universo. Já no primeiro tem uma batalha apoteótica, com muita guerra, vingança e aventura, mais ou menos como o Armagedom e o Apocalipse para os cristãos.

Sem dúvida alguma, uma das coisas que deixa a obra ainda mais interessante é o fato de que foi a partir da mitologia ali retratada que J. R. R. Tolkien se baseou para escrever seus melhores livros, principalmente "O Senhor dos Anéis". Este que é um dos maiores e mais incríveis clássicos de todos os tempos, na minha opinião. E dá pra ver essa semelhança bem nítida durante a leitura tanto desta obra como das do Tolkien.

Durantes as estórias os autores inseriram algumas partes engraçadas e uma ou outra piada. O que deixou a obra ainda mais legal e interessante. Vou citar um trecho onde isso aparece:
"Desde então, foi o gigante quem passou a saborear este néctar - e podemos, perfeitamente, imaginar que lenha se tornado também, senão um grande poeta, ao menos um poeta grande." (pg. 159)
Super recomendo o livro para pessoas que gostam de magia, aventura, fantasia e estórias épicas.

Nível de Recomendação: ;
Capa: 9;
Trama: 8;
Enredo: 7,5;
Desfecho: 8. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário