quarta-feira, 11 de março de 2015

A Batalha do Apocalipse


    A Batalha do Apocalipse é a obra escrita pelo escritor brasileiro Eduardo Spohr. Lançado originalmente aqui no Brasil no ano de 2010, chega á sua presente 53ª edição, datada de 2011. o livro já é um sucesso entre os brasileiros, o que é muito bom, porque além de valorizar a nossa apagada literatura, incentiva novos talentos a investir no gênero fantástico, que é o mais cotado atualmente no mundo todo. O livro é composto por 586 páginas e 14 capítulos, que são divididos em três partes.
    A obra narra as aventuras de Ablon, o Primeiro General celeste da casta dos Querubins, que ao rebelar-se contra a tirania do perverso arcanjo Miguel, o Príncipe dos Anjos, é traído e após ser expulso do céu recebe a condena de ficar vagando eternamente pela Terra. Em suas jornadas, ao longo da história humana, ele conhece Shamira, a imortal feiticeira de En-Dor, pela qual acaba se apaixonando.
    Tudo transcorre bem até a chegada dos fins dos tempos, o Apocalipse. Onde o destino do Universo será decidido na iminente Batalha do Armagedon. A partir daí o céu entra em guerra, na qual todos os celestes e até meso os habitantes do inferno se enfrentam numa batalha titânica. Nesse cenário terrível, o protagonista Ablon, tem seus provados incansavelmente. Onde ele deve fazer de tudo para impedir que o pior aconteça, e o universo tenha seu fim.
    O livro é de uma qualidade altíssima. Gostei muito dele. O enredo, a trama e os personagens são bem caracterizados e planejados. Meu personagem favorito é Ablon, o anjo renegado, que com coragem e bravura, luta por seus ideais, dotados de justiça e bondade.
    Meu trecho preferido, o mais marcante e incrível é o seguinte:
       " ...
          Assim deu-se a grande explosão. O coração pulsante da besta rasgou, lançando um oceano de fogo e fulgor sobre o mundo. No campo os três exércitos assistiram, atônitos, o espetáculo, à medida que  o calor cósmico desintegrava seus corpos.
          Ruíram as fundações do planeta, e por toda a terra começaram os cataclismos.
                                                                             ...
          O ardor queimou todo o céu, obscurecendo o firmamento e apagando o brilho dos astros." (pg.560)

    É impossível não sentir orgulho após ler a obra. Pois além de ser 100% brasileira, possui uma qualidade que certamente conquistará o mundo.
   

2 comentários:

  1. Gosto muito deste livro, e realmente dá muto orgulho de ser brasileiro. E que vire filme logo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, e confesso que estou ansioso para que vire filme. É muito bom que escritores e editoras invistam mais mais neste gênero da literatura, que atualmente é o mais popular.

      Excluir